segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Graças à quem?

Esse post pode ser considerado ofensivo para algumas pessoas, mas que fique bem claro que eu não vou criticar religiões, nem vou tomar partidos de forma alguma. E também não vou criticar religião A ou B, ou entidade A ou B. Eu vou criticar um hábito extremamente irritante das pessoas que me deixa extremamente puto, que começou à partir da religião. Portanto, caso alguém se sinta ofendido, me perdoe, feche essa página, e vá embora.

Assim. Ultimamente eu ando reparado que os jovens do Brasil andam muito religiosos. É isso é bom, na verdade (porque a religião acaba afastando de coisas piores), e andam compartilhando demais isso com todo mundo na internet, principalmente no Facebook. Até aí tudo bem, não há nada demais em querer compartilhar mensagens boas. O problema começa...


Aqui. Aqui começa o problema que quero falar sobre. Não, o problema não é em compartilhar essas imagens. O problema é quando as pessoas começam a viver com base no que essa imagem (e outras semelhantes) dizem. Quando as pessoas começam a pensar “Não preciso me preocupar porque ____ vai me trazer X”, ou “Pra quê esquentar a cabeça? ____ vai me dar Y”, é que a coisa começa a ficar feia.


AAAAAAAAAAAAAAAHPDOJKSAPOJFS *HEADDESK*

Palavras não são suficientes para expressar minha ira com as pessoas que fazem isso. Pode ser Deus, Alá, Odin, Cthulhu, Zalgo, quem for, se você pensa assim, você não tem meu respeito.

Funciona assim: a pessoa começa a pensar “ah, ____ vai me dar X” e então vai, de fato, começar a buscar tal coisa, mas sempre vai faltar aquele pouquinho do final, aquele esforço que faltava da sua parte pra conseguir. Se brincar até mais do que um pouquinho. E no final das contas, qualquer mérito que você tiver, qualquer conquista que você obtiver, não foi por seu próprio esforço e suor. Não foi por seu trabalho duro e cansativo. Foi porque sua entidade de preferência quis. E isso acaba se tornando em auto-desmerecimento. Quando você começa a pensar assim, você começa a se dizer incapaz de conquistar nada sem ajuda divina. Casa? Trabalho? Namoro? Se você não deixar sua entidade de preferência cuidar de tudo e tentar conquistar essas coisas com as próprias mãos, você nunca vai ter nada disso. É isso mesmo, produção?


Não, não deu tudo certo. Você ainda não fez absolutamente nada.

Sério, gente, acordem! Sua entidade de preferência não vai te dar nada assim!!! No máximo, podem te mostrar um preview do caminho, mas só! E mais: percebam que, quando uma coisa dá certo, quem recebe 100% dos créditos nunca é quem fez a parada acontecer. Porra, se receber 10% dos créditos já é um milagre (rá), mas quem recebe tudo é a entidade de preferência.

Então é assim? Basta todo mundo ficar parado e pedir, que vai acontecer? Boa sorte esperando, enquanto as pessoas que realmente querem alguma coisa vão conseguir elas com muito sangue, suor e lágrimas. E uma ocasional frase espiritual de inspiração.

Um comentário:

LazUli disse...

Jurava que tinha sido o Deuz que tinha escrito isso. rs